27/02/2011

A Força da Vida

Um dia frio me faz lembrar de casa 
O sentimento aqui dentro não consigo distinguir 
Talvez um choro interrompido sem saber porque chegou 
E trouxe uma leve inspiração contando algo que preciso ouvir
A vida guarda suas forças quando sofre 
E dobra-se num último esforço 
Se preservando pra não se perder 

As forças parecem faltar, 
Então ela morre à primeira vista, 
Mas corre por dentro a seiva 
E por baixo da terra ela insiste.

Vou além, vou buscar a raíz 
Pode vir o tempo difícil 
Eu não vou desistir. 
Pode parecer que o tempo 
Se fechou na tristeza, 
Mas guardada em meu peito 
Eu levo a força da vida.



Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

Blog Widget by LinkWithin